AZEITE DE OLIVA EXTRA-VIRGEM, VIRGEM, E REFINADO - QUAL USAR? | Clube do cabelo e cia




Oi pessoal!

Não é novidade que o azeite de oliva é um dos óleos mais saudáveis, que traz inúmeros benefícios à saúde,
e até mesmo em tratamentos estéticos para pele e cabelos. (as umectações capilares que o digam!)

Devido à grande quantidade de gordura monoinsaturada contida no azeite de oliva, o seu consumo regular contribui para a redução da quantidade de LDL (mau colesterol) do organismo, reduzindo a formação de placas de ateroma nas paredes dos vasos sanguíneos, e o risco de infarto ou AVC.
E por ser rico em polifenóis, o azeite de oliva reduz a formação de radicais livres (extremamente nocivos à saúde pois são os responsáveis pelo envelhecimento e doenças degenerativas), e previne as oxidações biológicas.

O azeite de oliva extra virgem, pode suportar temperaturas muito elevadas, o que faz dele um dos mais saudáveis para uso culinário (frituras, etc).
O ponto de fumaça do azeite extra virgem é 210ºC.
( ponto de fumaça é a temperatura na qual o óleo começa a queimar e decompor gorduras nos seus componentes principais, formando os compostos tóxicos).

Hoje, a maior parte do cultivo comercial de azeite, é centrado na região do Mediterrâneo, em países como a Espanha (36% da produção total), Itália (25%) e Grécia (18%). Estes países, juntamente com os restantes países europeus, também consomem cerca de dois terços de todo o óleo de oliva, que é produzido.
Outras regiões do mundo estão aumentando  rapidamente o consumo e produção de azeite, como a América do Sul (especialmente Chile) e Austrália.
Estudos comprovam que os povos das regiões do mediterrâneo tem baixo nível de infarto e câncer, por estes serem os maiores consumidores do azeite de oliva e verduras.

Por ser saboroso, saudável, rentável, e de fácil adulteração, o azeite de oliva acaba atraindo a "máfia" das grandes indústrias.
A forma mais comum de adulteração é a mistura de azeite de oliva extra virgem com óleos mais baratos, de qualidade inferior, podendo esta mistura ser com óleos de fontes completamente distintas, como o óleo de canola ou óleo de colza. Ou também pode ser misturado com um azeite refinado ou de qualidade inferior, confundindo até mesmo alguns degustadores especialistas.

Ontem saiu uma publicação sobre os testes feitos em 19 marcas de azeite de oliva, das quais 4 tinham indícios de fraude, pois diziam em seus rótulos serem "extra virgens", enquanto não passavam de uma mistura de óleos refinados com adição de outros óleos e gorduras. Ou seja, pagamos o preço de um extra-virgem, e levamos um refinado...aff!!!
Se quiser ver mais detalhes da notícia, e a lista das marcas reprovadas clique aqui.



Como o azeite é extraído das azeitonas?

Existem duas maneiras principais de extração do óleo de oliva, e uma terceira que é na verdade, é um segundo processo dos outros dois métodos.

O método tradicional é a extração por pressão, em que a fruta é colocada numa prensa, e por força mecânica, o óleo é extraído. É a melhor maneira de fazer com que se mantenha as melhores características do óleo, mas devido à sua complexidade e por ser de baixo rendimento, é raramente usado, embora algumas regiões ainda utilizem este método.

O segundo método é  por centrifugação, que também utiliza a forma mecânica, onde as azeitonas são moídas por centrifugação, para separar os diferentes elementos, devido às suas diferentes densidades. É mais conveniente para obter uma azeitona industrial de alta qualidade e, portanto, um método amplamente utilizado.

O terceiro método, é por utilização de solventes, onde utiliza-se-se um óleo de qualidade inferior, daqueles que sobraram dos outros métodos, ou o óleo do bagaço de azeitona, que são óleos que permanecem na polpa após a remoção mecânica. Estes óleos não podem ser consumidos por causa do seu gosto ruim e alta acidez, e precisam de um processamento químico para torná-los aptos para o consumo, porém com qualidade inferior.

O azeite virgem e extra-virgem são obtidos pelos dois primeiros métodos de extração mecânicas, e portanto, não são refinados. 




Os azeites podem ser classificados como: 

Extra-virgem:
 É o óleo não refinado, derivado da primeira prensagem das azeitonas e tem o sabor mais delicado. É  de mais alta qualidade, e nunca deve exceder 0,8 º de acidez. Sua nota de degustação deve ser qualificada em 6.5 ou mais.

Virgem: 
O azeite virgem é também derivado da primeira prensagem das azeitonas, mas possui um nível de acidez maior que o extra virgem (até 2,0%), e possui níveis mais baixos de fitonutrientes, além de um sabor menos delicado. Mas mesmo assim, o virgem não deixa de ser considerado saudável.Sua nota de degustação deve ser qualificada em pelo menos 5,5.

Quimicamente, a diferença entre o azeite extra virgem e azeite virgem é a acidez total; ou seja, quanto maior a acidez, mais danos sofreu o óleo.

De acordo com os padrões adotados pelo Conselho Oleícola Internacional, o azeite"virgem" pode conter até 2% de acidez livre (expresso em ácido oleico), enquanto o azeite"extra-virgem" pode conter até 0,8% de acidez livre.

Azeite refinado: 
Os azeites virgens que possuem acidez alta e pequenas imperfeições (defeitos) no gosto, são destinados para refino.
 Eles são enviados para uma refinaria para serem submetidos a um processo químico, que remove esses defeitos, mas que também acaba removendo as suas qualidades. Uma vez refinado, ele pode ser misturado com alguma porcentagem de azeite virgem para garantir "algum" aroma e sabor.  
Portanto, este óleo é uma mistura de azeite refinado (máximo 90%) e azeite de oliva virgem ou extra-virgem. É de pior qualidade, e seu gosto é completamente diferente.

OBS: Nos supermercados ainda encontra-se o "óleo de oliva", que é a mistura do azeite refinado, com óleo de soja.

Os azeites que podem ser considerados de melhor qualidade, são originados unicamente por processos mecânicos ou outros, em condições que não causem deterioração térmica do óleo, e que não tenham sofrido outros tratamentos além da lavagem, decantação, centrifugação e filtração. 


Concluindo... se você tinha dúvidas entre usar um azeite extra-virgem ou virgem, agora sabe que a diferença entre eles é pouca, e ambos são saudáveis para o uso culinário e/ou estético.

Agora, a pergunta que não quer calar: E o refinado, serve pra quê? 
Talvez sirva para as indústrias terem um lucrinho a mais, com um "bagaço" que na verdade, deveria ser inutilizado...


Fica a dica!
Bjksss



Postar um comentário

  1. Esclarecedor.... excelente iniciativa! Por isso amo esse blog, já falei pra todas as minhas amigas!

    ResponderExcluir
  2. Ahhh que beleza,este post veio a calhar,o azeite que uso está na lista,entre aqueles 19,mas ele é classificado como azeite virgem,é o Gallo,quase surtei quando vi a notícia ontem, pois estou com um vidro de 500 ml cheio em casa...rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pri, console-se comigo...tô com um Borges novinho aqui tbm... mas pelo menos é virgem né..menos mal!! Perdemos din-din, mas pelo menos ainda é saudável ;)
      bjsss

      Excluir
  3. Por isso fiquei mais tranquila,sabendo que a diferença entre virgem e extra é pouca...perdemos mesmo,custou 19,00,enquanto o virgem não chega a 15,00! =/

    ResponderExcluir
  4. E o meu que foi considerado refinado :(
    E tá cheio…
    #indignada

    ResponderExcluir
  5. sou filha, neta de portugueses, minha avó só cozinhava com azeite extra virgem Carbonell espanhol ou português, quanto menos acidez mais puro ele é, azeite extra-virgem tem que ter no máximo 2% de acidez, acima disso é só azeite, que também é muito bom mas só para saladas, não deve e não pode ir ao fogo fritar nada´.

    ResponderExcluir
  6. Erika, sei que não cabe q você fazer propaganda das marcas, mas sugiro que como você é preocupada em informar todos sobre tudo que sai na mídia, você poderia colocar as marcas reprovadas nos testes, tanto as que não são azeite quanto as que não são extra virgens. Como nós gostamos de fazer umectação com azeite porque é mais fácil de encontrar, temos que saber quais comprar, ou não comprar (como a menina que postou essa materia no cronograma capilar e comprou o Gallo estava revoltada pq n é virgem...)
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amanda,
      Aí no post mesmo, eu deixei um link que leva pra notícia que tem a lista das marcas reprovadas... olha lá em cima.. tá em vermelho!
      bjksss

      Excluir
    2. Acabei de ver o post aki, eu não tinha visto, desculpe! rsrsrs bjus

      Excluir
    3. Imagina amore...não precisar se desculpar! bjksss!!

      Excluir
  7. Erika agora eu fiquei na duvida , já que a diferença é pouca! Eu estava usando o Gallo e ainda esta na metade, é melhor eu comprar um realmente extra virgem ou isso nao irá fazer diferença para fazer U ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não precisa amore, o virgem dá pra fazer U.
      bjkss

      Excluir
  8. Dei sorte de ter um do carrefour aqui kkkkkk

    ResponderExcluir
  9. Oie... Olha eu aqui amiga, quanto tempo! Cara, levei um susto esses dias, percebi que fiquei um ano sumida tanto do meu blog quanto do blog dos amigos, um ano sem comentar no blog de nenhum amigo, af! E tanta coisa boa pra se ler, viu! Adorei sua matéria. Eu adoro o Extra-virgem justamente por ter o sabor mais delicado, a ácidez costumo comprar de no máximo 0,5% (Recomendação médica). Erikinha, você acredita que meu médico mandou que eu usasse óleo ao invés de azeite na fritura? Segundo ele, o azeite quando aquecido perde todos os nutrientes e se iguala ao óleo e que, portanto, é jogar dinheiro fora usar o azeite que é mais caro que o óleo quando eu fritar alguma coisa. Ele disse que todo o poder do azeite está nele cru, que eu posso usá-lo nas saladas e até jogar por cima da comida já no prato porque realmente ele aquecido se iguala ao óleo soja, por exemplo, enfim, faço fritura somente uma vez por mês, daí eu uso óleo de girassol ou outros mais saudáveis que o de soja. Beijinhos ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha queridaaaaaaaaaa!!!! Pois é... vc ficou sumidaça! Pensei até que tinha desistido do blog...ainda bem que não! :)
      Sério? Eu sempre ouvi dizer que o azeite extra-virgem aguenta temperaturas mais altas que o óleo refinado! O óleo de côco tbm, só que ele deixa gosto na comida..aí eu não curto.
      bjão amore!!

      Excluir
  10. desconhecia, amo azeite principalmente em salada e pizza, bom saber.... !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somos duas a amar azeite! Coloco até no arroz integral rs

      Excluir
  11. Olá. Que maravilha de matéria! Eu sou completamente apaixonada por azeite. Não vivo sem. Por isso essa sua matéria pra mim é de grande valia. Descobri várias coisas interessantes. Adorei o blog também.
    Abraços pra você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Andréa! =D
      Seja muito bem vinda ao Clube!
      Bjksss

      Excluir
  12. Será que essa regra de "refinado" vale para Rosa Mosqueta também? A Engetec só vende refinado.....e agora comprar ou não comprar?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cíntia!
      Então... existem vários métodos de refino. E existem óleos que realmente precisam ser refinados, pq tem o cheiro muito forte. A engetec vende óleos refinados também, pq eles vendem pra empresas de cosméticos, e pra fazer cosméticos, os óleos não podem ter aroma, logo tem que ser refinados. Geralmente os óleos utilizados em cosméticos são refinados. Já os comestíveis aí melhor mesmo serem virgens...
      Mas vc acha do rosamosqueta virgem tbm... já viu no site da Laszlo?
      bjssss

      Excluir
  13. Olá Erika, ótima matéria! Parabéns.
    Tire uma dúvida por favor, comprei uma garrafa de Azeite de oliva extra virgem da marca Borges, gostaria de saber se posso aplicar na pele, ou ele é só para uso culinário ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Emerson!
      Todo óleo que vc puder comer, vc também pode passar na pele. Porém, nem todo óleo que vc passa na pele, vc pode comer. Então pode usar o azeite na pele, sem problema. bjsss

      Excluir
  14. Ufaa! Faço umectação com o azeite da marca andorinha. E ainda bem que eh considerado extra-virgem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luna,
      Ainda bem que alguns azeites escapam né?
      bjosss

      Excluir
  15. Olá por favor, gostaria de saber se posso usar azeite de oliva extra virgem tanto na pele como nos cabelos e pegar sol.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Zuzu,
      Não, pq o azeite não tem proteção solar.
      bjs

      Excluir
  16. Queria saber se posso usar o azeite da marca gallo para hidratação do meu cabelo?

    ResponderExcluir
  17. Li alguns comentários e Azeite de oliva ANDORINHA NÃO é EXTRAVIRGEM, ok??!!! NA hora de comprar seu azeite observe o rótulos, aquelas letrinhas minúsculas que praticamente se escondem do consumidor, rsrs. O Andorinha é um azeite composto por azeite de oliva REFINADO E VIRGEM. Não comprarei mais ele.

    ResponderExcluir
  18. Oi Erika, uma dúvida!
    O perigo do refinado é para os azeites, ou para todos os óleos vegetais?
    Estava procurando na Engetec e a maioria é refinado. Cortou meu coração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Josy!
      O perigo maior mesmo é para os óleos ingeridos. Não são todos os óleos que sofrem com o refino... o óleo de coco por exemplo aguenta altas temperaturas, então não teria problema ser refinado.

      A maioria dos produtos cosméticos que possuem óleos na sua composição (com exceção de alguns naturais e orgânicos) são feitos com óleos refinados, pois ele não tem cor, nem cheiro, e tem o custo mais barato.
      A diferença nesse caso, é que eles não possuem suas propriedades na íntegra.

      bjss

      Excluir
  19. Poxinha. Não gostei.
    Vou procurar comprar os essenciais na Engetec e o restante em outro site, que não seja refinado.
    Comecei a desconfiar, quando vi que eles estão vendendo óleo de Canola.
    #Chateei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei do "poxinha" .. muito meigo! rsrsr
      Então Josy... é que a Engetec tbm vende pra empresas de cosméticos, e a maioria delas só usa refinado mesmo...
      bjksss

      Excluir
  20. Pode usar o azeite de oliva extra-virgem o Borges no cabelo?

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Volte sempre!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Entre para o nosso Clube!

 
Clube do cabelo e cia © 2013. All Rights Reserved. Powered by Blogger
Top